segunda-feira, 25 de julho de 2016

A coleta de pó na indústria de alimentos pode ser um desafio. A natureza básica do particulado gerado durante a fabricação e o processamento de alimentos apresenta um desafio único para a indústria de filtragem de pó. Em muitos produtos alimentares, a poeira ou o particulado que precisa ser capturado contém umidade, óleos ou é viscoso por natureza. Este tipo de pó pode criar complicações significativas se coletores com filtros de mangas ou a jato pulsante tradicionais forem usados nessa aplicação. Na maioria das vezes, um coletor de pó úmido é a melhor alternativa quando usado com esses tipos de pós.

Tipos de pó

Antes de escolher que tipo de coletor de pó é adequado para a aplicação, a natureza fundamental do tipo de pó gerado durante o processo deve ser entendida. Na indústria de processamento de alimentos e bebidas, os pós gerados são muitas vezes de natureza viscosa ou tendem a ser higroscópicos. Esse pó pode também atrair eletricidade estática. Um estudo mais aprofundado dos pós envolvidos nos processos pode revelar informações sobre o tamanho das partículas e o teor de umidade. Usando as informações obtidas a partir desse estudo, uma decisão mais bem fundamentada pode ser tomada quanto ao tipo de coletor de pó mais adequado para a aplicação.

Coletores de pó seco tradicionais

Quando coletores de pó com filtro cartucho ou com filtros de mangas típicos são usados na indústria de alimentos para a coleta de poeiras oleosas ou higroscópicas, vários problemas podem surgir. Esses pós em particular tendem a obstruir rapidamente os filtros desses coletores, o que pode afetar diversos processos anteriores e posteriores. Quando os filtros ficam obstruídos, percebe-se uma alta queda de pressão através do equipamento. Como resultado, a eficiência da coleta é negativamente impactada. Devido aos filtros obstruídos e à pressão mais alta do sistema, o fluxo de ar constante não pode ser mantido. Os coletores a jato pulsante também podem ser usados, no entanto, a maior pulsação necessária para limpar os filtros pode reduzir a vida útil dos filtros, bem como contribuir para um elevado custo operacional. Para limpar eficazmente esses filtros, o equipamento precisa ser desligado e limpo manualmente e os filtros devem ser substituídos.

Outro problema encontrado ao usar coletores de pó seco é o risco inerente de explosão de poeira, o que pode resultar em perda de produção, incêndio, ferimentos ou até mesmo morte. De acordo com o conselho de segurança química dos Estados Unidos, ocorreram 281 incidentes de poeira combustível entre os anos de 1980 e 2005, os quais mataram 119 trabalhadores e feriram 718. Existem vários recursos que os coletores de pó seco podem ter e que irão atenuar os efeitos de uma explosão de poeira. Para prevenir completamente que ocorram eventos desse tipo no coletor seco, sistemas de supressão caros são necessários e levam ao tempo de inatividade do equipamento caso o sistema de supressão seja descarregado. Uma característica particular comumente encontrada nos coletores de pó seco é a abertura de ventilação antiexplosão. Essas aberturas aliviam a pressão criada pela explosão e direcionam a energia para longe das pessoas e dos equipamentos essenciais. Os coletores secos com aberturas antiexplosão devem ficar ao ar livre ou devem receber ventilação externa, o que, às vezes, pode resultar em dutos complexos e custos de instalação dispendiosos.

Uma solução melhor

Os problemas que esses tipos de pós de alimentos podem causar para os coletores secos fazem com que os processadores de alimentos e bebidas procurem outras soluções. Muitas vezes, a melhor solução para essas aplicações é um coletor de pó úmido. Um coletor de pó úmido aborda vários dos problemas que os coletores de pó seco têm. Em vez de um meio filtrante tradicional, o coletor de pó úmido utiliza um fluxo de água como filtro. Ele sozinho resolve vários problemas. Não existe meio físico que entupa, que precise ser substituído, reduzindo assim os requisitos de mão de obra, as despesas operacionais e o tempo de inatividade dos equipamentos. Além disso, o coletor úmido tem eficiência de coleta, fluxo de ar e pressão estática constantes. Esse recurso único permite que ele seja usado em uma variedade de aplicações onde o fluxo de ar constante é um requisito, como exaustores ou equipamentos de coleta de material.

Outro grande benefício do coletor úmido é o efeito atenuante que ele tem com respeito à explosão da poeira. Por ter a água como o meio filtrante, não há necessidade de ventilação antiexplosão ou outra proteção. O uso de água também elimina a necessidade de detecção de fagulhas ou para-centelhas, os quais são muitas vezes necessários nos coletores de pó seco. Como resultado, os coletores de pó úmido podem ser instalados em ambientes fechados e o ar limpo pode ser circulado novamente de volta para o prédio sem proteção adicional contra incêndio.

Uma escolha importante

É importante que os fabricantes de alimentos e bebidas considerem cuidadosamente as opções de coleta de pó disponíveis. Encontrar a solução adequada que combina desempenho, facilidade de manutenção e segurança pode ter um grande impacto nas operações. Em muitos casos, a escolha de um coletor de pó úmido para a aplicação de processamento de alimentos e bebidas pode ajudar a diminuir o tempo de inatividade, a aumentar a segurança e a fornecer um desempenho constante e confiável, podendo resultar em um impacto positivo nas operações.

 

Matt Kellner é um gerente de produto global da AAF International, 9920 Corporate Campus Drive, Suite 2200, Louisville, KY 40232, 502-637-0267, mkellner@aafintl.com, www.aafintl.com